Você sabe como funciona a bolsa de valores?

Escrito por: - Publicado em: 23/08/2016

Quando o assunto é as modalidades de investimentos existentes, o mercado de ações sempre provoca a curiosidade ou o verdadeiro interesse de quem está em busca de uma boa aplicação para o dinheiro. Porém, nem todo mundo sabe como de fato funciona uma bolsa de valores e é isso que vamos esclarecer neste post. Confira!

 

Qual a origem?

Os historiadores dão pelo menos três versões para a origem do conceito utilizado ainda hoje pelas bolsas de valores. Alguns afirmam que ele teria surgido no “Collegium Mercatorum Romano”. Outros dizem que os bazares palestinos, os Fundacks, deram origem à forma de negociar, enquanto há que acredite que tudo tenha surgido no Emporium Grego. Independentemente das controvérsias, há um ponto para o qual todos convergem: aqueles eram lugares onde os negociantes se reuniam para comprar e vender mercadorias, o que era feito pela melhor oferta dada em pregão.

 

Essa modalidade de negociação foi evoluindo ao longo dos anos, até que, em 1487, em Bruges, na Bélgica, foi fundada a primeira bolsa de valores, com formato semelhante ao que existe ainda hoje. O conceito se expandiu pelo mundo, chegando aos Estados Unidos em 1792, se consagrando com a fundação da Bolsa de Valores de Nova York, em Wall Street, onde títulos e outros papéis eram negociados.

 

Como funciona?

Uma bolsa de valores é o local onde as ações emitidas pelas empresas são negociadas. Esse ambiente pode ser presencial, onde há a presença da pessoa e dos agentes de investimento para que a negociação se concretize, ou virtual, quando as transações são feitas pela internet ou pelo telefone.

 

Objetivamente, a bolsa funciona como um mercado de compra e venda. Contudo, no lugar das sacas de trigo ou das ânforas de vinho da antiguidade, hoje são negociadas ações, que são títulos equivalentes a uma pequena parcela das empresas que negociam na bolsa. Enquanto a ação mantém bom índice de crescimento, o que significa valorização, e a empresa mantém boa reputação no mercado, o investimento é bom e mais seguro. Quando ocorre o contrário, a aplicação pode ser desvalorizada e o risco aumenta.

 

De fato, para quem está de fora, conceitualmente, a bolsa de valores é bastante simples. Porém, para investir nesse mercado com segurança, é preciso entender bastante como ele funciona, uma vez que os lucros não chegam em função da sorte. Aliás, quem conta somente com a sorte está muito mais fadado a ter prejuízos do que a lucrar.

 

O que é o pregão?

O pregão é o ambiente onde as ações são ofertadas e adquiridas. Desde o início dos anos 2000, a tradicional confusão dos pregões presenciais, onde as pessoas gritavam durante a negociação dos ativos, foi substituída pelo chamado “pregão eletrônico”, por meio do qual os lances são dados por intermédio de terminais instalados nas corretoras de valores. Há ainda o mercado automatizado, que faz as negociações a partir de informações pré-programadas.

 

Por que há o sobe e desce?

O movimento de subida e de descida das bolsas de valores ocorre em função da oferta e da demanda existente das ações. Assim, como em qualquer mercado, quando há grande oferta de determinado título, perante uma pequena procura, ele deve cair de valor. O contrário também acontece: pouco papel sendo ofertado, perante uma procura considerável, a tendência é de alta.

 

Esse raciocínio é válido tanto para uma ação em particular, quanto para o conjunto da bolsa. Ou seja, se há muita gente ofertando papéis, como também são chamadas as ações, o preço tende a recuar. Se há pouco volume de oferta e muita gente querendo comprar, o índice da bolsa tende a subir.

 

São múltiplas as questões que influenciam esse sobe e desce. Políticas de governo, condições do mercado internacional e até o desempenho particular de determinadas empresas ditam as tendências, que podem afetar todos os setores ou determinados setores, especificamente.

 

Quais as dicas para quem quer começar?

 

Não comprometa a renda mensal

Se você está começando no mercado de ações, tenha em mente que existem os riscos de quedas consideráveis ou de demora na valorização. Isso significa que você deve manter cautela nos investimentos e fazê-los com recursos extras, que não comprometam o seu rendimento mensal, o que pode criar dificuldades para que você consiga honrar os seus compromissos habituais.

 

Não é uma loteria

Há quem acredite que o fator sorte ajuda a ganhar dinheiro na bolsa de valores. Eventualmente, o acaso pode até favorecer alguns investidores. Contudo, não estamos falando de uma loteria, na qual os resultados surgem aleatoriamente.

 

Portanto, para os iniciantes, o melhor é fugir dos riscos e buscar aplicações mais conservadoras. Nestas, os ganhos possivelmente serão menores, uma vez que delas não devemos esperar altas surpreendentes, da noite para o dia. Por outro lado, os riscos são bem menores e a rentabilidade poderá vir de forma mais tranquila.

 

Abra uma conta em uma corretora

As corretoras de valores prestam serviços para investidores de todos os portes, uma vez que não há limite mínimo para investir. Para abrir uma conta, você precisará enviar o seu RG, CPF e comprovante de residência. Além disso, também terá que ter uma conta bancária com o mesmo CPF, por meio da qual você fará o envio dos valores para a sua conta na corretora e também receberá os resgates, quando assim julgar conveniente.

 

Basicamente, as corretoras cobram um custo de corretagem e uma taxa de custódia do seu dinheiro, com valores diferentes entre elas, o que torna conveniente fazer uma comparação. Depois que você abriu a conta, basta enviar o dinheiro para a corretora, para que ela faça as aplicações.

 

Busque informação

Você pode comprar ou vender ações por intermédio do seu Home Broker, que é o espaço virtual que a corretora disponibiliza para que você faça as suas transações a partir do seu computador. Há corretoras que permitem que você participe de clubes de investimento, o que facilita bastante a vida do investidor, ou de fundos.

 

Em qualquer dos casos, é importante que você procure se informar bastante sobre o mercado de ações, acompanhando resultados pela internet, buscando informações sobre as empresas nas quais deseja investir, analisando o histórico delas, se a sua vontade for a de fazer investimentos diretos. Ou então, procure analisar o desempenho dos clubes ou dos fundos dos quais queira participar.

 

Em todos os casos, a informação pode representar o diferencial decisivo entre ser um investidor de sucesso e uma pessoa que só perde dinheiro na bolsa.

 

Agora que você já sabe como funciona a bolsa de valores, que tal conferir 5 dicas para investidores de primeira viagem? Acesse o post!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Tesouro Direto: confira 3 dicas para investir nesta modalidade!
Por Equipe Organizze
Investimento para iniciantes: 3 dicas que vão te ajudar!
Por Equipe Organizze
3 armadilhas de investimentos: pirâmide, esquema Ponzi e bolha financeira
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Como avaliar a rentabilidade dos investimentos
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).