Você realmente precisa de um sapato novo?

Escrito por: - Publicado em: 27/10/2015

Quantas vezes você já viu alguma coisa nova na vitrine de uma loja, ou até mesmo em uma loja online, e pensou consigo: “eu preciso disso”? Certamente essa cena já deve ter se repetido em vários momentos da sua vida. Nessas horas, a sensação que se tem é que o anjinho da consciência e o diabinho do consumismo aparecem do nada e ficam sussurrando ao seu ouvido, tentando, ao mesmo tempo, impedir e incentivar aquela compra desnecessária.

 

Os supérfluos estão por todos os lados, em forma de um sapato novo, de uma cor de batom diferente, o último lançamento em vinil do seu artista favorito. O público feminino é constantemente bombardeado por novidades irresistíveis, itens que são especialmente desenhados para atrair a atenção até da mais comedida das consumidoras. E engana-se quem pensa que apenas as mulheres são alvo dessas tentações.

 

Os homens estão igualmente sujeitos a cair nessas pequenas armadilhas do consumo e acabar gastando mais do que deveriam ou poderiam com coisas que não são de extrema necessidade no momento, ou que poderiam ser adquiridas com um certo planejamento.

 

Na hora que bate o impulso, é importante parar e refletir: você realmente precisa disso?

 

O peso do supérfluo

Há quem diga que a compra de um item supérfluo por mês não faz mal nem pesa no orçamento. Pensando de forma prática e tendo em mente uma pessoa com um planejamento financeiro consciente e realista, essa afirmação pode até ser verdadeira.

 

Comprar algo novo, seja uma roupa, um sapato, ou aquele quadro diferente para colocar na parede da sala traz uma sensação de satisfação momentânea sem igual — isso é inegável —, mas é importante que essa compra seja feita de forma consciente.

 

O que deve ser levado em conta é o peso que aquele item supérfluo tem no seu orçamento pessoal. Suas contas e obrigações estão em dia? O seguro do carro, os impostos devidos, as parcelas do financiamento já foram todos quitados no mês? Se a resposta a essas perguntas foi “sim” e você percebeu que sobrou um dinheirinho, talvez não seja um problema tão grande comprar aquele sapato novo, por exemplo.

 

Eu realmente preciso disso?

Como falamos, adquirir algo que você deseja e que não esteja necessariamente ligado às suas necessidades básicas não representa perigo algum se você está investindo o seu dinheiro de forma consciente. A pergunta que deve ser feita nessas ocasiões é: eu realmente preciso disso?

 

Aquele estojo de lápis de cor com 48 cores, feito em madeira preta e que vem em uma caixa de cedro talhado à mão por artesãos pode parecer, na hora, a melhor aquisição da sua vida, mesmo que tenha custado trezentos reais e você não seja exatamente um artista ávido. Mas colocando sua vida financeira em perspectiva, será que era mesmo necessário?

 

Se você percebeu que a sua situação financeira não está das melhores, que está sobrando pouco dinheiro no final do mês ou se deu conta de que você precisa colocar um dinheirinho na poupança para investir em determinado plano futuro, talvez seja o momento de parar e pensar na necessidade de comprar um item supérfluo, que vai trazer uma satisfação momentânea, mas que, no final, pode pesar muito na sua vida financeira.

 

O que deve ser levado em conta

A primeira coisa que deve ser levada em conta antes de dar ouvidos ao impulso e fazer uma compra supérflua e impensada é a balança entre o seu salário e as suas obrigações do dia a dia. O seu salário mensal é suficiente para que você pague o seu aluguel, as despesas com a casa, o financiamento do seu carro, as compras de supermercado do mês e as despesas comuns do seu dia a dia?

 

Além disso, se você tem planos de fazer um grande investimento no futuro, talvez agora seja a hora de verter esse dinheiro para sua poupança e fazer certas concessões. É possível economizar uma boa quantia no período de um ano apenas cortando os gastos supérfluos.

 

Usando o sapato novo como exemplo, imagine que seu preço médio hoje é de R$150,00. É claro que esse preço pode variar de acordo com o modelo, a qualidade e até mesmo onde você está fazendo a sua compra, mas vamos utilizar esse valor para fins de comparação apenas. Se você compra um par de sapatos novos por mês, em um ano gastará R$1.800! Faça a conta utilizando o valor do bem que você geralmente coloca na cota de supérfluo e avalie quanto você poderia economizar caso deixasse de fazer essa compra todo mês.

 

Não é necessário abrir mão de tudo

Antes que você entre em desespero, saiba que não é preciso eliminar todo e qualquer prazer da sua vida. A palavra de ordem para conciliar os seus interesses deve ser: planejamento. Ao fazer uma compra, não deixe se levar pelo impulso, pense duas vezes. Se for preciso, saia da loja e dê uma volta na rua para clarear as ideias e pensar se você realmente precisa daquilo.

 

Se no final das contas chegar a conclusão de que você quer mesmo — e pode — adquirir aquele produto, então vá em frente com segurança e consciência de que está fazendo uma compra que vale a pena.

 

E você, tem muitos impulsos de consumo? Já consegue se planejar para comprar itens mais supérfluos sem comprometer seu orçamento? Compartilhe com a gente a sua experiência!

 

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 formas de ganhar dinheiro em 2022
Por Central do Evento
32 gastos que dão direito à restituição do imposto de renda
Por Central do Evento
Consumo responsável: o que considerar
Por Central do Evento
4 dicas para tirar as metas financeiras do papel em 2022
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).