Vale a pena usar o cartão de crédito em viagem internacional?

Escrito por: - Publicado em: 02/05/2017

Vai viajar para o exterior e está pensando em usar seu cartão de crédito internacional? Antes de tomar essa decisão, você precisa conhecer e entender melhor como funciona esse modelo de compras, para avaliar se ele é (ou não) interessante no seu caso.

 

Muitas pessoas, buscando mais comodidade e rapidez, acabam aderindo ao serviço sem essa prévia análise, sendo surpreendidas com uma dívida maior do que a esperada ao receber a fatura. Então, para que você não enfrente problemas, preparamos este conteúdo com tudo o que precisa saber a respeito.

 

Quer ficar por dentro do assunto? Continue lendo e descubra agora se vale a pena usar o cartão de crédito em viagem internacional!

 

Entenda o que é um cartão de crédito internacional

 

Já parou para pesquisar o que realmente significa ter um cartão internacional? Muitas pessoas acreditam que a única diferença entre ele e o nacional é o fato de poderem utilizá-lo em compras fora do país. Mas essa é apenas uma de suas características.

 

Um cartão internacional, além de poder ser empregado em compras nacionais, é útil em viagens para o exterior. Entretanto, isso tem um custo a mais: as anuidades e taxas de juros costumam ser mais caras.

 

Esse tipo de serviço apresenta algumas vantagens, como a possibilidade de saque em agências de outros países e de compras em sites internacionais ou lojas de aplicativos para smartphones. Entretanto, é claro que o consumidor paga a mais por tais funcionalidades.

 

Portanto, fique atento a algumas questões antes de utilizar o seu!

 

Veja como a variação do câmbio afeta sua fatura

 

Comprar com o cartão de crédito internacional pode representar uma surpresa no dia do pagamento. Isso porque a instabilidade do câmbio pode afetar significativamente o valor que você efetivamente desembolsa pela compra realizada.

 

No mês de março de 2017, por exemplo, o dólar sofreu algumas variações:

 

→ 01/03/2017: R$3,09

→ 02/03/2017: R$3,15

→ 09/03/2017: R$3,19

→ 20/03/2017: R$3,07

→ 31/03/2017: R$3,12

 

Ou seja: não há como saber, com clareza, quanto você efetivamente pagará na fatura. Os números oscilam bastante de um dia para o outro e sofrem interferências de diversos aspectos da economia do país e do mundo.

 

Ainda que o Banco Central tenha editado uma medida que permite que o valor seja convertido conforme a cotação do dia da compra, essa regra não é obrigatória e trata-se de uma decisão que varia conforme a instituição financeira. Sendo assim, você precisa pesquisar se a sua oferece essa opção.

 

Por outro lado, se o banco não aderiu a essa medida, você terá de contar com a sorte e esperar que a moeda não suba muito até o dia do fechamento da fatura — que é quando a quantia será convertida para o real.

 

Além disso, algumas instituições não informam com clareza como é feita a conversão, o que pode se tornar uma armadilha para o consumidor, gerando incerteza quanto ao preço final pago. Alguns até utilizam como base a data do pagamento da fatura (e não a do fechamento).

 

Observe a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)

 

Quando realiza uma compra no exterior, com o seu cartão de crédito internacional, você não arca apenas com o valor do produto. Existem algumas taxas extras que são cobradas cada vez que esse modelo de pagamento é usado.

 

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é um imposto aplicado no total de 6,38% no preço final da aquisição. Por outro lado, quando você compra com a moeda estrangeira, pagará um IOF de 0,38%.

 

Assim, veja quanto seria o gasto real em uma compra de US$1.000:

 

→ Cartão de crédito internacional

US$1.000 x 6,38% (IOF): US$ 1.063,80

US$1.063,80 x R$3,14 (câmbio do dólar do dia): R$3.337,82

 

→ Dinheiro

US$1000 x 0,38% (IOF): US$1003,80

US$1003,80 x 3,14 (câmbio do dólar do dia): R$3.151,93

 

Como é possível perceber, devido a essa variação considerável do custo final, é preciso avaliar adequadamente qual forma de pagamento será utilizada em sua viagem. Assim, você pode, inclusive, levar uma quantidade em dinheiro e o cartão internacional, por exemplo.

 

Ressalta-se que o IOF é um imposto aplicado também no uso do cartão de débito e pré-pago, além de incidir nas compras realizadas no exterior e por meio de sites de vendas internacionais.

 

Compreenda como a conversão da moeda influencia o valor da fatura

 

Você já deve ter percebido que existe o dólar comercial e o dólar turismo, sendo que o primeiro é mais barato, não é mesmo? Mas qual desses valores deve ser considerado no momento de converter sua compra internacional?

 

Apesar de ser mais vantajosa a conversão com base no dólar comercial, não existe uma norma que obrigue os bancos a utilizarem essa cotação como parâmetro. Ou seja: muitas instituições levam em consideração o dólar turismo, o que, certamente, deixará sua fatura mais cara.

 

Assim, por exemplo, se a conversão estivesse sendo feita hoje, seu banco poderia se basear no valor de R$3,14 (comercial) ou R$3,27 (turismo) para calcular a quantia final de sua fatura. Nesse caso, em uma mesma compra de US$500, poderíamos ter os seguintes valores:

 

→ Dólar comercial

US$500 x 6,38% (IOF): US$531,90

US$531,90 x 3,14: R$1.670,16

 

→ Dólar turismo

US$500 x 6,38% (IOF): US$531,90

US$531,90 x 3,27: R$1.739,31

 

Desse modo, você pode gastar mais do que o planejado simplesmente porque o seu banco utiliza o dólar turismo como parâmetro para a conversão da moeda. Por isso, é aconselhável conversar com o seu gerente e checar esse tipo de informação antes de viajar, para que você se programe melhor e evite surpresas desagradáveis.

 

Fazer uso do cartão de crédito internacional é uma comodidade interessante ao consumidor, pois não é preciso se preocupar em comprar dinheiro ou providenciar um cartão pré-pago. No entanto, toda essa facilidade envolve custos adicionais, e é nesse momento que você precisa avaliar se tal opção é realmente vantajosa.

 

Desse modo, pesquise e estude as taxas e a forma de proceder do seu banco nesses casos. Com as informações em mãos, você pode desfrutar de uma viagem inesquecível e tranquila, sem medo de surpresas desagradáveis com a chegada de sua fatura.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Cartão de crédito: quando a corrida por milhas se torna uma armadilha
Por Meu Patrimônio
7 dicas para viver em paz com o cartão de crédito
Por Equipe Organizze
Como quitar a dívida acumulada do cartão de crédito?
Por Equipe Organizze
5 ótimos motivos para não emprestar o cartão de crédito
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).