Quer trocar de carro?

Escrito por: - Publicado em: 18/08/2015

Pode até parecer exagero, mas trocar de carro é uma decisão dificílima. Entre outras questões, há o apego, a insegurança de substituir o seu possante por um veículo menos adequado e a preguiça de pesquisar pela opção mais vantajosa. O maior problema, no entanto, é saber a hora exata de fazer a troca. Se você não quer cometer erros nesse processo, confira neste artigo como identificar o momento certo de dizer adeus ao velho amigo e começar um novo ciclo!

 

Mais problemas do que benefícios

O primeiro indício de que a troca deve ser planejada acontece quando o seu carro começa a causar apenas prejuízo. Se os gastos com manutenção e reparos superam as vantagens de manter o veículo, a situação merece uma atenção especial. Idas frequentes à oficina são o melhor sinal para observar. Em média, os problemas se acentuam por volta de 60 mil quilômetros rodados. Lembre-se sempre de que você comprou o seu carro para ter mais liberdade e menos estresses comuns em transportes coletivos e não para ter dores de cabeça.

 

Contudo, se o seu carro está em ótimas condições, não há porque investir em outro veículo à primeira vista. Economize o dinheiro para escolher a melhor opção quando a troca for realmente inadiável.

 

Não espere até o seu carro virar uma lata velha para trocá-lo

Um veículo em bom estado é ótimo para barganhar bons preços. Antes de vender, faça um check-up com um mecânico de confiança. Considere se vale a pena recauchutar o veículo ou se é melhor colocar anúncios em sites e jornais. Se optar pela venda, saiba que a desvalorização acontece principalmente nos dois primeiros anos de uso, momento em que o preço cai até 25%. Nos anos seguintes, a desvalorização é quase insignificante.

 

No mais, estabeleça um preço justo. Nada de baratear muito, nem de inflacionar o velho companheiro. Daí a importância de manter a boa aparência e deixar o carro sem defeitos técnicos. Um comprador bem impressionado e convicto não pensa tantas vezes antes de pagar e o ganho a mais na venda pode subsidiar, ou cobrir, a compra de um automóvel com muito mais qualidade e recursos.

 

Observe o mercado

Apesar da crise, comprar um carro continua sendo um bom negócio. O momento econômico atual no Brasil configura um período interessante para os que pretendem comprar carros novos à vista. Atenção: somente à vista. O aumento do IPI somado às altas dos juros e da inflação forçam as concessionárias a optar pela venda sem parcelamento, uma vez que o crédito está mais restrito.

 

Portanto, se você vinha incrementando a sua poupança para juntar com o valor obtido na venda do seu carro, essa é uma boa hora. Pechinche um bom preço, pois há terreno para negociar. As empresas automobilísticas precisam comercializar os veículos 0 km parados no estacionamento das lojas.

 

Caso esteja inseguro, pondere eventualmente a aquisição de um seminovo. É um caminho interessante, sobretudo quando a quilometragem é baixa e a diferença no preço é considerável.

 

Faça um planejamento financeiro com calma

Enumere ao menos três tópicos: dívidas, renda atual e reserva financeira. Depois, verifique se o lucro com a provável venda do carro será suficiente para cobrir o próximo. Se a resposta for negativa, veja se as suas economias são suficientes para arcar com as futuras prestações. Evite fazer a troca caso a situação financeira esteja complicada ou no limite.

 

Excetuando situações extremas, aguarde o momento ideal. Você ganha tempo e dinheiro para calcular a melhor estratégia visando alcançar o objetivo: ter um carro novo sem comprometer sua qualidade de vida.

 

Por isso, nesse tipo de operação, é imprescindível ter calma e um mínimo de dinheiro resguardado para suprir necessidades urgentes. Infelizmente, nada é certo na vida, para o bem e para o mal. Problemas de saúde, nova oportunidade de emprego e mudança são ocasiões em que sempre precisamos estar preparados. Certifique-se de considerar tudo isso antes de trocar o carro.

 

Pense no futuro

Jamais compre simplesmente por impulso. O planejamento financeiro não deve apontar apenas objetivos momentâneos, mas também as metas para o futuro. Estude o quanto o novo carro pode ajudar a realizar os seus sonhos, a crescer no trabalho.

 

Por exemplo: para quem atua como representante de vendas, o veículo é parte integrante da apresentação ao cliente. E não para por aí. Você pode ganhar tempo, mais conforto para a sua família, menos estresse no dia a dia, menos dinheiro com reparos. Parece pouco, mas, juntos, esses fatores podem transformar a sua rotina.

 

Os brasileiros têm um carinho especial por carros. Todavia, a disputa entre razão e emoção deve ser equilibrada, tendendo mais, quando falamos em dinheiro, para a primeira opção. Se uma das suas dúvidas consiste na escolha entre um carro novo ou um seminovo, leia este artigo e tome a sua decisão.

 

Já trocou de carro e tem outras dicas legais para compartilhar? Não esqueça de deixar o seu comentário e contar pra gente o que você achou!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Comprar ou alugar um carro: o que vale a pena?
Por Central do Evento
Consumo responsável: o que considerar
Por Central do Evento
O que é e como fazer uma faxina financeira no início do ano?
Por Equipe Organizze
Black Friday: como economizar com compras para casa?
Por Viva Decora
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).