Quanto eu posso economizar evitando festas?

Escrito por: - Publicado em: 09/02/2016

Quando a gente é jovem, a rotina de festas e baladas parece fazer parte de todos os finais de semana. A sensação é a de que, se a gente não participar de uma ou outra saída, vamos perder muitas histórias boas e a chance de socializar com os amigos. Mas e quando o assunto é dinheiro? Qual é o custo real dessa rotina de festas para o seu bolso?

 

Muitas vezes ele é bem maior do que imaginamos e talvez a melhor opção seja os programinhas caseiros para te ajudar a reorganizar suas finanças — sem perder contato com a galera e nem evitar a diversão. Veja o quanto você pode economizar evitando festas e cuide da saúde do seu bolso!

 

Coloque na ponta do lápis o que significa sair para a balada

 

Sim, sair todo final de semana tem suas vantagens. Você encontra seus amigos, se diverte, esquece os problemas do trabalho e dos estudos, conhece novas pessoas, entre outras coisas. Mas e seu bolso? Como fica? Na verdade, uma rotina de vida social em festas toda semana significa um rombo bem grande nas suas contas no final do mês. Já se perguntou o porquê de seu dinheiro acabar antes mesmo de cair o próximo salário?

 

Cada vez mais, o mercado de restaurantes e casas noturnas tem explorado o poder de compra do brasileiro. Se formos reparar atentamente, o valor dos produtos e serviços envolvidos nessas festas — o preço das bebidas, entradas e couvert, por exemplo —, aumentou muito mais do que a inflação nos últimos anos. Isso acontece porque o nosso poder de compra também aumentou, ainda que não proporcionalmente à taxa de inflação. Por isso, experimente colocar na ponta do lápis todos os seus gastos com saídas no final de semana e verifique o tamanho desse peso na sua conta (olhar o extrato bancário no dia seguinte também ajuda, caso você tenha bebido demais).

 

Pense nos gastos paralelos

 

O tamanho dos gastos com a balada é normalmente “diminuído” quando fazemos nossas contas no dia seguinte, justamente porque desconsideramos uma série de gastos extremamente relevantes, como estacionamento, táxi, lanches após a balada, etc. Esses gastos acontecem exatamente por causa da saidinha no final de semana, já que com certeza não teríamos tido essas despesas se tivéssemos ficado em casa. Por isso, é muito importante considerar esses valores na hora de anotar quanto você gastou (mesmo) na noite anterior.

 

Imagine essa economia em um mês

 

Você já parou para pensar quanto teria economizado se tivesse ficado em casa? Levando em consideração os valores que você contabilizou até agora, se somados os quatro finais de semana do mês (ou mais, caso você vá para a balada sexta, sábado e domingo), chegamos a valores bastante altos e significativos no orçamento de qualquer pessoa.

 

Não é à toa que, na medida em que a gente envelhece e temos maiores preocupações financeiras, acabamos diminuindo o ritmo das saídas, tentando conter um pouco os gastos. Além disso, essa rotina de festas e balada todo final de semana também compromete sua saúde e descanso — e isso pode atrapalhar o seu rendimento no trabalho ou na faculdade.

 

Já pensou em levar a festa para sua casa?

 

Pensando nessas desvantagens de uma vida recheada de finais de semana de balada, você já pensou em outras formas de diminuir esses gastos? Levar a festa para sua casa, por exemplo, é uma ótima ideia para amenizar os gastos e ainda manter a vida social em dia! Além de não ter que pagar estacionamento, entrada e couvert, você e seus amigos ficam mais à vontade, ouvem as músicas que quiserem e conseguem comer e beber a preços muito mais razoáveis.

 

E outras alternativas de diversão?

 

Se você fica muito preso às boates e bares todas as sextas e sábados, acaba esquecendo de que existem outras formas de se divertir com seus amigos — muitas delas até mesmo gratuitas. Esse é o caso, por exemplo, de eventos culturais como festivais de rua, shows, exposições, mostras, etc. Quase todo lugar tem uma agenda cultural gratuita, normalmente patrocinada ou subsidiada por órgãos públicos. Por que não dar uma olhada em quais eventos estão rolando na sua cidade e dar uma conferida ao vivo?

 

Existem também outros programas que, por mais que representem um gasto para você e seus amigos, saem muito mais em conta do que uma balada à noite. É o caso, por exemplo, de um cinema, uma peça de teatro, um piquenique divertido em alguma praça, ou outros eventos desse tipo. Basta ser criativo e sair da mesmice!

 

Como você pode perceber, diversão não significa, necessariamente, fazer aquele rombo nas suas contas. Quando todo final de semana é sinônimo de balada, o seu bolso é o primeiro a sentir, por isso é importante saber como economizar nesse quesito! Dá para curtir bastante gastando menos, ou até mesmo diminuindo a quantidade de saídas. Experimente juntar a sua turma e pensar em programinhas diferentes, vocês vão ver como o dinheiro vai render mais no fim do mês.

 

Ainda tem outras dúvidas e sugestões sobre esse tema? Como você faz para economizar e ainda manter uma programação cultural divertida? Deixe um comentário e conte pra gente!

 

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Consumo responsável: o que considerar
Por Central do Evento
O que é e como fazer uma faxina financeira no início do ano?
Por Equipe Organizze
Black Friday: como economizar com compras para casa?
Por Viva Decora
Dicas de planejamento financeiro para viajar
Por Meu Patrimônio
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).