Previdência privada é uma boa opção para mim?

Escrito por: - Publicado em: 30/06/2015

Procurar um plano de aposentadoria no Brasil é como entrar em um labirinto de armadilhas. Se você deseja investir parte do seu salário para o futuro e pretende ver seu dinheiro render mais do que na poupança, é importante compreender as alternativas para não ser passado para trás.

 

As instituições que lucram com esse tipo de investimento costumam se aproveitar da falta de conhecimento financeiro da população e oferecem informações mal explicadas. Evidenciam somente os benefícios de produtos complexos, mesmo que não sejam os mais indicados ao perfil do cliente, que só pode descobrir as desvantagens do produto na prática — quando já é tarde demais.

 

Recentemente, um grande banco público foi a julgamento por ter levado uma cliente de 64 anos a acreditar que seria vantajoso para ela investir seus únicos R$ 250 mil em um plano de previdência privada. Somente depois de assinado o contrato que ela ficou ciente de que só poderia retirar o dinheiro sem prejuízos quando fizesse 99 anos! Por sorte, dessa vez, a juíza julgou procedente a ação contra o banco, e declarou nulo, inválido e rescindido o contrato firmado.

 

Portanto, antes de aderir a um plano oferecido por seu banco ou seguradora, é importante adquirir conhecimentos financeiros, obter informações detalhadas sobre juros, liquidez, operações de risco, etc., e conhecer as possibilidades de investimento. Para te ajudar a pensar um pouco melhor sobre a previdência privada (afinal, nunca é cedo para começar a se precaver), acompanhe nosso post e veja se essa é uma boa opção para você!

 

Planos de previdência privada

Na previdência privada, o contribuinte pode definir o valor e a periodicidade do investimento, porém, o valor que você recebe no resgate será proporcional, claro. Existem dois tipos de previdência privada no Brasil: a aberta — que pode ser contratada por qualquer pessoa — e a fechada — destinada a funcionários de empresas, profissionais ligados a sindicatos ou entidades.

 

No caso da previdência fechada, a empresa geralmente contribui com 50% do valor e o trabalhador retira os outros 50% do seu salário (são raras as empresas que bancam 100% da contribuição). Além disso, é possível deduzir cerca de 12% da renda bruta na declaração anual do imposto de renda.

 

Já a previdência aberta é oferecida por bancos ou empresas de seguro e a principal vantagem é a liquidez, pois os depósitos podem ser sacados a cada dois meses.

 

Opções de previdência fechada

PGBL

O Plano Gerador de Benefício Livre serve àqueles que declaram imposto de renda no formulário integral. É uma operação mais arriscada, já que não há garantias de rentabilidade, podendo, inclusive, ser bem pequena. O montante é aplicado em um fundo de investimento exclusivo, fiscalizado pelo Branco Central e administrado por uma empresa especializada em gestão de recursos de terceiros. Há uma taxa de carregamento de até 5% e o resgate pode ser feito de uma única vez ou em parcelas mensais, a partir do prazo de 60 dias. No momento de adesão ao plano, é possível também optar pela idade de quando começará a receber o rendimento investido.

 

As quantias da sua contribuição também podem variar e você pode depositar um valor maior, caso queira (e não exista nenhum impedimento para isso).

 

VGBL

O Vida Gerador de Benefício Livre, comercializado por seguradoras, é mais direcionado àqueles que são isentos na declaração anual do Imposto de Renda e, portanto, não possuem renda tributável. Assim como o PGBL, nesse plano não há garantias de rentabilidade e a taxa de carregamento é de até 5%. Porém, nesse caso, o resgate só pode ser feito dentro de um prazo específico, que varia de dois meses a dois anos.

 

Plano tradicional

No plano tradicional, pode-se abater até 12% da renda bruta declarada no Imposto de Renda. Esse tipo de plano inclui correção monetária e, finalmente, dá garantias de rentabilidade mínima, frequentemente acrescentando 6% de juros mensais.

 

Porém, os rendimentos não são repassados integralmente ao investidor. O máximo possível que se pode retirar varia de 50 a 85% do total, e as taxas de carregamento são mais altas que nos outros planos, chegando a 10% sobre a aplicação.

 

Outras opções de investimentos

FAPI

O Fundo de Aposentadoria Programada Individual não possui taxa de carregamento, mas, em compensação, se o resgate for feito em um intervalo menor que 1 ano haverá incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Vendido em bancos e seguradoras, esse plano é indicado para aqueles que declaram o Imposto de Renda utilizando o formulário simplificado, apesar deste estar entrando em desuso hoje em dia.

Nessa opção, novamente, não há garantias de rentabilidade mínima, porém, os rendimentos são repassados integralmente ao contribuinte, que também pode abater 12% da renda bruta anual na sua declaração do Imposto de Renda.

CDB

Os CDBs (Certificado de Depósito Bancário) são títulos que os bancos emitem para captar dinheiro das pessoas. Dessa forma, o banco remunera com juros, que variam de acordo com o valor emprestado, a quem emprestou. Existem, basicamente, 2 tipos de CDB:

 

  • Pré-Fixados: fica definida a porcentagem exata do valor emprestado e a data de acréscimo. Um título que possui uma taxa pré-fixada de 10% a.a., receberá exatamente 10% ao ano na data de vencimento.
  • Pós-fixados: o valor será definido de acordo com o indexador. No geral, é utilizado o valor do médio diário que os bancos emprestam dinheiro entre si.

 

Tesouro direto

O tesouro direto nada mais é do que emprestar dinheiro para o governo federal para depois receber com juros, ou seja, se trata basicamente de comprar um título do tesouro nacional. O governo disponibiliza títulos pré-fixados e pós-fixados, assim no CDB. Porém, essa aplicação é mais acessível para os pequenos investidores, sendo possível comprar pequenas frações do título, com um custo mínimo de R$ 76.

 

Essas são as opções para quem não deseja ter nenhum trabalho extra na hora de assegurar mais estabilidade financeira para o seu futuro. Se você possui tempo, disposição e possibilidades, existem ainda as opções como a compra de ações da bolsa de valores, financiamento para compra de imóvel e receber em forma de aluguel, ou mesmo o investimento em um negócio promissor.

 

Você já investe em uma previdência privada? Tem dúvidas ou dicas boas para compartilhar? Deixe o seu comentário pra gente!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 formas de ganhar dinheiro em 2022
Por Central do Evento
4 dicas para tirar as metas financeiras do papel em 2022
Por Equipe Organizze
O que é e como fazer uma faxina financeira no início do ano?
Por Equipe Organizze
5 ideias práticas para melhorar sua vida financeira em 2022
Por Meu Patrimônio
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).