Por que comprar usado pode ajudar nas suas finanças?

Escrito por: - Publicado em: 13/07/2018

O momento econômico difícil, aliado à popularização de brechós e bazares físicos e na internet tem ajudado a formar um novo hábito de consumo entre os brasileiros: comprar usado. Aos poucos, o preconceito vai sendo vencido e deixa de ser estranha a ideia de adquirir algo que já pertenceu a outra pessoa. Afinal, render-se a essa prática pode ser muito benéfico para o seu bolso, fazendo com que o dinheiro renda mais.

 

Segundo uma pesquisa do Ibope encomendada pelo site de classificados OLX, os itens de segunda mão chegam a valer de 40% a 70% do preço de um produto novo. Nesse mercado alternativo, roupas, artigos de bebê, móveis, eletrodomésticos, livros, brinquedos e eletrônicos se somam aos já tradicionais imóveis e carros, historicamente revendidos no país.

 

Com a economia, é possível vender o endividamento ou apostar em investimentos para que o seu dinheiro renda ainda mais, sem deixar de atender às necessidades de consumo da casa. Basta tomar alguns cuidados para fechar excelentes negócios e, ao mesmo tempo, manter o orçamento em dia. Então, que tal aprender a poupar (e sem errar) optando por itens usados? Vamos lá!

 

Seja criterioso na escolha

 

Comprar usado pode ser financeiramente atraente, mas exige o dobro do cuidado que você costuma dispensar a um produto que recém saiu da fábrica. Nesse tipo de comércio, é possível encontrar de tudo, desde artigos de qualidade e ainda com etiqueta até produtos contrabandeados ou falsificados. Por isso, é importante ser criterioso e prestar atenção aos mínimos detalhes.

 

Ao escolher roupas e sapatos, dê uma boa olhada em busca de desgastes, como fios puxados e manchas, e certifique-se de que o tamanho delas é adequado para você. Artigos de bebê costumam ter pouco tempo de uso, mas merecem o mesmo olhar minucioso. Já no caso de móveis e objetos de decoração, faça uma vistoria à procura de batidas, arranhões ou buracos que indiquem a presença de cupins.

 

Tenha cautela ainda maior ao considerar a compra de eletrônicos, celulares e informática — o terceiro segmento mais procurado no mercado de usados, de acordo com o Ibope. É preciso ligar os aparelhos e verificar se não há funcionalidades comprometidas, testar entradas e acessórios e ficar atento a riscos e falhas na tela. Peça a nota fiscal e o manual de uso e assegure-se de que o produto é original!

 

Lembre-se de que, normalmente, esses itens não costumam ter garantia ou direito à troca, o que aumenta a sua responsabilidade ao escolher. Caso encontre algum defeito, avalie se ainda assim o produto será útil, e se, apesar dele, o preço continua vantajoso.

 

Compare valores e considere a depreciação

 

Por falar em preço vantajoso, a velha máxima de pesquisar antes de comprar também deve ser aplicada a itens de segunda mão! Saiba quanto custa um produto novo e, caso o valor pedido pelo usado esteja muito próximo, peça um desconto maior. Lembre-se de que, via de regra, ele terá perdido parte do seu valor simplesmente ao sair da loja, mesmo que nunca tenha sido usado. Some a isso as eventuais marcas de uso e barganhe uma condição realmente atraente.

 

Você também pode pechinchar se tiver a intenção de levar vários artigos. O bom é que, nesse tipo de comércio, os vendedores costumam estar mais dispostos a negociar porque estão interessados não só no valor da venda, mas também em passar o produto adiante (e liberar espaço em casa).

 

Saiba onde comprar usado

 

Além dos tradicionais brechós e lojas de móveis usados, os bazares e vendas de garagem de bairro têm se difundido cada vez mais no Brasil. Informe-se sobre esses eventos na sua vizinhança e entre os amigos. As redes sociais, especialmente o Facebook, também são uma ótima ferramenta para encontrar boas oportunidades.

 

Mas fique alerta: ao comprar pela internet, é preciso ter cuidado para não cair em golpes. Antes de efetuar uma transação online, consulte sites como o do Procon do seu estado e município, o Reclame Aqui e o e-Bit para averiguar se a empresa realmente existe e se o serviço que ela presta é confiável. Procure brechós conhecidos e peça indicações aos amigos habituados a garimpar usados na rede. Na dúvida, não compre.

 

Fuja do consumismo

 

Muita atenção a essa orientação! De nada adianta trocar os novos pelos usados se você acabar “compensando” a economia ao gastar com itens de que não precisa. Fuja do impulso de comprar só porque o preço está baixo e não se esqueça de que a aquisição de usados, como qualquer outro gasto, deve se adequar ao planejamento das suas finanças.

 

A ideia aqui é otimizar o seu dinheiro e fazer com que sobre mais no fim do mês, e não transferir maus hábitos de consumo para esse novo segmento. Do contrário, o barato sairá caro e vai continuar pesando no seu orçamento.

 

E você, já teve boas experiências ao comprar usado? Compartilhe conosco!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 formas de ganhar dinheiro em 2022
Por Central do Evento
32 gastos que dão direito à restituição do imposto de renda
Por Central do Evento
Consumo responsável: o que considerar
Por Central do Evento
4 dicas para tirar as metas financeiras do papel em 2022
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).