Debêntures amigas: saiba como investir hoje!

Escrito por: - Publicado em: 23/04/2018

Opa, falei grego? Não tem ideia do que seja uma Debênture?

 

Então antes de mais nada deixe-me fazer as honras da casa e apresentar vocês!

 

“Olá Dê (apelido fofo da Debênture), tudo bem? Esta(e) é a(o) (imagine seu nome aqui). Ela(e) ainda sabe pouco sobre você… Se importa se eu fofocar um pouco a seu respeito, gata?”

 

Dê, simpática e confiante, acena pra que eu continue apresentando vocês.

 

“(imagine seu nome aqui), esta é a Dê, uma grande amiga minha. Basicamente ela ajuda empresas de grande porte a pegar dinheiro emprestado pra crescer e botar novos projetos em prática. Ela não é famosa, mas é esperta, viu? A empresa  não pega dinheiro emprestado no banco, que cobra juros altíssimos, ela pede a ajuda à Dê. A Dê busca gente como você, que tá a fim de emprestar dinheiro e ganhar uma grana pelo empréstimo. Ah, detalhe: ela mesma diz quanto a empresa vai pagar pelo dinheiro que ela pegou emprestado, como e quando vai pagar… e eu pago um pau pra ela!”

 

Dê e você nesse momento se olham me recriminando pelo linguajar tosco.

 

(Caraca, tô muito criativa hoje!)

 

Agora que você já entendeu o conceito de Debêntures, deixa eu explicar como você e ela podem se tornar amigas de longa data.

 

Já se inscreveu no maior canal de entretenimento financeiro gratuito do Brasil? Vídeos toda semana, de um jeito que você entende! Inscreva-se, é de graça! Clique aqui.

 

1 – MARQUE O ENCONTRO

 

Você não vai encontrar debêntures dando sopa em qualquer lugar. Pra encontrá-las, é preciso ter conta aberta em uma corretora de valores.

 

2 – CONHEÇA-A MELHOR

 

Você não sai por ai ficando amiga da primeira pessoa que vê pela frente, né? Então porque iria investir na primeira Debênture que encontrar pelo caminho?

 

Vou te contar um segredo: existem vários tipos de debêntures e pode ser que você curta mais uma do que outra, assim como as suas amizades. Outra coisa importante de se falar sobre elas: Debêntures não tem garantia do FGC, o fundo garantidor de crédito.

 

Você ainda precisa conhecer melhor a Debênture antes de se arriscar a ser amiga dela. Apesar de não terem a garantia do FGC, as debêntures usam a própria empresa para a qual “trabalham” como garantia e pra cada debênture existe uma garantia e níveis de riscos diferentes:

 

Debênture com garantia real: é a que oferece menor risco. Funciona como o carro que é usado como forma de pagamento caso o financiamento não seja pago. A empresa usa sua própria estrutura e bens para garantir o pagamento.

 

Debênture com garantia flutuante: a partir daqui a garantia de pagamento vai ficando mais arriscada. Os bens que entram na garantia flutuante podem ser vendidos sem conhecimento dos debenturistas.

 

Debênture sem garantia quirografária: não oferece privilégio ou preferência sobre o ativo do emissor. O debenturista concorre em igualdade de condições com outros credores não preferenciais, em caso de falência da companhia. O valor de emissão limitado ao capital social integralizado da companhia emissora.

 

Debêntures sem garantia subordinadas: em caso de liquidação da companhia emissora, oferece preferência de pagamento apenas em relação ao crédito dos acionistas. Pertence a uma categoria inferior à quirografária e não tem limite de emissão.

 

“É muita informação, meu Deus!”

 

Calma, é melhor você olhar com tranquilidade agora do que se arrepender depois. No fim, pode valer muito à pena!

 

Primeira informação que você precisa avaliar: se é uma debênture incentivada ou não.

 

Debêntures incentivadas tem subsídio do Governo e não são taxadas em imposto de renda sobre a rentabilidade acumulada. Ponto pra elas!

 

Registro da emissão: Mostra quando a debênture foi emitida.

 

Agora vamos ás “características”. 

 

Olha, como eu queria que as pessoas viessem com essas informações também, viu? Já pensou? Características: inteligente, meigo e criativo… (ok, deixa pra lá).

 

Veja que uma das informações você já conhece:

 

Garantia/espécie, que eu expliquei agora há pouco.

 

Mas e o que significa

 

Forma: Escritural e Classe: Simples?

 

Vamos descobrir!

 

CLASSES:

 

Simples

O investidor recebe o dinheiro do pagamento de juros apenas em dinheiro no prazo acordado. Algumas debêntures “pagam” seus credores a cada seis meses, outras a cada um ano e outras apenas no vencimento. Tem que ficar de olho na hora de investir.

 

Permutável

 

O investidor pode receber ações de outras empresas como forma de pagamento.

 

Conversível

 

O valor de resgate pode ser trocado por ações, na forma prevista nos documentos de emissão, por opção do investidor.

 

FORMA:

 

Existem dois tipos básicos de Debêntures:

 

Nominativas e estruturais.

(Você chegou até aqui, não é agora que vai amarelar, né?)

 

Nominativa:

 

Neste tipo, a companhia emite a debênture em nome do investidor inicial e realiza o registro e controle de transferências em livro de registro próprio.

 

Não é facilmente encontrado em Corretoras, pois a forma de negociação não é digital.

 

Escriturais:

 

A debênture Nominativa Escritural é mantida em conta de custódia, em nome do investidor, em uma instituição financeira devidamente autorizada pela CVM. Essa instituição financeira realiza também o registro e controle de transferências, procedimento semelhante ao da ação escritural.

 

“Interessante, mas como saber se uma debênture é boa?”

 

Eu sabia que você ia perguntar isso!

 

Pra saber se você vai ou não sair de novo para o rolê com a Dê é preciso conhecer as outras modalidades de investimentos. Só assim você vai poder escolher de fato com quem vai “sair” naquele dia. Além disso, pergunte-se: qual é o meu objetivo com esse dinheiro? Eu sou uma pessoa que tolera um certo risco em nome de uma rentabilidade melhor?

 

Nada melhor do que conhecer a si antes de começar uma amizade com alguém…

 

(tô sábia hoje)

 

IMPORTANTE:

 

Cada debênture tem um prazo de vencimento e valor mínimo diferente da outra. Fique muito atenta(o) antes de investir. Se você precisar do dinheiro antes desse prazo,  não será uma boa ideia.

 

*Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Tesouro Direto: confira 3 dicas para investir nesta modalidade!
Por Equipe Organizze
Investimento para iniciantes: 3 dicas que vão te ajudar!
Por Equipe Organizze
3 armadilhas de investimentos: pirâmide, esquema Ponzi e bolha financeira
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Como avaliar a rentabilidade dos investimentos
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).