Ações: investimento individual x gestão profissional

Escrito por: - Publicado em: 15/06/2018

O momento turbulento pelo qual estamos passando está convencendo cada vez mais investidores de que é mais inteligente investir em ações com profissionais, através de fundos. Nesse contexto, vale ressaltar que não é justa a ideia de que os principais beneficiários nesta mudança de comportamento são os gestores, mas, sim, os próprios investidores.

 

De 2003 até 2008, vivemos um período de crescimento ininterrupto do Ibovespa (principal índice da Bolsa), passando a ideia de que investir em ações era ganhar dinheiro na certa. Quem aplicou, por exemplo, R$ 100 mil reais no início de 2003, acumulou ao final de 2007 R$ 443 mil, um retorno médio de 40% ao ano.

 

Durante esse período, naturalmente, aumentou a presença dos investidores individuais na B3, atraídos pelos excelentes ganhos proporcionados pelas ações. Passamos de 85 mil em 2002 para 456 mil no final de 2007, aumento de 436%. Foram anos de felicidade contínua, deixando todos confiantes de que era possível ganhar dinheiro sem esforço. Todos se tornaram experts em ações. Os investidores estavam com o bolso cheio e ficou difícil defender a importância de investir com profissionais. O aumento do número de investidores se manteve nos anos posteriores, porém, em uma magnitude e velocidade muito menor. Atualmente, 680 mil pessoas estão habilitadas para investir na Bolsa brasileira.

 

Em meio a um início de ano positivo para o Ibovespa, que até abril acumulou um crescimento de 12,7%, vivemos em maio um turbilhão de notícias negativas, fazendo com que o índice atingisse 4,7% negativo. Nesse cenário, muitos investidores individuais estão batendo em retirada, contudo, historicamente, sabe-se que este é o melhor momento para a entrada no mercado de ações, que deve ser visto como um excelente investimento de longo prazo.

 

Deve-se sempre enfatizar que a saída momentânea dos investidores individuais não deveria ser acompanhada por um desinteresse e/ou desilusão com o investimento em ações. A perda de dinheiro
em qualquer tipo de investimento causa angústia, entretanto, o investidor inteligente deve aproveitar estes momentos para reavaliar seu comportamento, identificar os erros cometidos e corrigi-los. De maneira alguma o investimento em ações deve ser deixado de lado em virtude de resultados ruins de curto prazo. O próprio mercado de ações poderá ser a melhor alternativa para reverter as perdas.

 

Sendo assim, o investidor deve levar em consideração as grandes diferenças de desempenho entre as ações e não encarar o investimento em ações como um jogo, onde não é possível fazer escolhas. Trata-se de um mercado de avaliação de empresas diário, influenciado por notícias e interpretações de diferentes agentes (investidores individuais, estrangeiros e institucionais, como fundações, fundos abertos, empresas etc.) que acabam provocando oscilações no curto prazo. O que importa, no fim das contas (longo prazo), são as boas escolhas (empresas) que se destacam.

 

Como dito há muitos anos por Benjamin Graham, pai da análise fundamentalista, o “Sr. Mercado” nem sempre cota as ações da forma que um avaliador ou comprador privado (gestores profissionais) avaliaria um negócio. Em vez disso, quando as ações estão subindo, ele paga acima do valor objetivo sem pestanejar e, quando estão caindo, fica desesperado para se livrar delas por um valor menor que o verdadeiro, daí provêm as grandes oportunidades. As oscilações bruscas, como a que vimos em maio (- 10,8%) só confirmam esta tese.

 

Nesse contexto, o fato de existir boas e más escolhas no mercado, acaba por definir o sucesso ou fracasso do investimento em ações. Daí a importância da gestão profissional e da figura do gestor quando comparado ao investidor individual.

 

Um gestor concentra todos os seus esforços em identificar, entre as centenas de empresas listadas na Bolsa, aquelas que possuem vantagens competitivas e estão sendo mal avaliadas a fim de equilibrar a relação risco x retorno e escolher as melhores. Visitas técnicas, estudos de mercado, entrevistas e análises contábeis fazem parte de sua rotina. Isso demonstra a grande desvantagem dos investidores individuais, que não têm condições de dedicar o mesmo tempo e energia na escolha da carteira de ações.

 

Uma gestão ativa procura constantemente novas oportunidades. Isso se deve a um fato de grande importância para o sucesso da gestão, mas pouco observado pelos investidores na escolha de um gestor: o alinhamento de interesses. Gestores que investem o próprio capital no fundo que administram e que possuem a maior parte de sua remuneração baseada no sucesso de sua rentabilidade (taxa de performance), demonstram um alinhamento total entre os interesses da gestão e dos cotistas (investidores do fundo), formando um casamento perfeito. Nesse caso, todos estão no mesmo barco e passarão juntos pelas intempéries e pelos bons momentos proporcionados por suas escolhas.

 

Apesar de sempre defender a gestão profissional, não quero dizer que é impossível ter sucesso na Bolsa investindo sozinho. Mas, para que isso aconteça, sem dúvida, é preciso muito estudo, dedicação e disciplina, que a maioria não dispõe. Sempre existirão gestores competentes nos quais o investidor pode confiar esta tarefa a fim de maximizar o seu retorno e manter-se livre para focar seus esforços naquilo que faz de melhor.

 

Planeje e seja feliz!

 

*Renan Lima é sócio da Alphamar Investimentos, graduado em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo e Planejador Financeiro CFP®.

 

Embaixador no Espírito Santo da Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros). Membro do Cindes (Federação das Indústrias do Espírito Santo), Instituto Líderes do Amanhã e Laboratório Estudar, programa de formação de lideranças da Fundação Estudar. Também atuou no Financial Times Group – Merger Market – em Londres, Inglaterra, e foi Trainee nas Lojas Riachuelo S.A.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Tesouro Direto: confira 3 dicas para investir nesta modalidade!
Por Equipe Organizze
Investimento para iniciantes: 3 dicas que vão te ajudar!
Por Equipe Organizze
3 armadilhas de investimentos: pirâmide, esquema Ponzi e bolha financeira
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Como avaliar a rentabilidade dos investimentos
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).