3 dicas para enfrentar a crise (e se dar bem com ela!)

Escrito por: - Publicado em: 20/07/2016

Indústrias fechando, comércio devagar, milhares de pessoas e famílias desempregadas… É, realmente enfrentar a crise não tem sido fácil nos últimos meses, ainda mais para pessoas que perderam o emprego recentemente.

 

Diante das dificuldades, devido as pedaladas econômicas do Brasil, muitas pessoas tiveram que se adaptar a nova realidade, reduzindo gastos e procurando novas fontes de renda. Uma das formas para driblar a crise é encarar ela de peito aberto, procurando fazer dessa dificuldade uma oportunidade. Mas você deve estar pensando: como fazer isso?

 

Com alguns ajustes e um pouco de criatividade alguns profissionais estão descobrindo maneiras de driblar a crise econômica e até faturar com ela.

 

Olha só esse exemplo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=SfuNGz2oz6k

 

Mesmo em momentos de incertezas em nosso país, existem setores e pessoas prosperando. Talvez você tenha um sonho de ter o próprio negócio ou mesmo se encontre na situação de começar um, acredite em você e assuma o protagonismo da sua vida.

 

A seguir algumas dicas para você que não tem nem idéia por onde começar:

 

3 dicas para driblar a crise

 

Comida

Se têm uma coisa que, mesmo diante de dificuldades, as pessoas não deixam de consumir, é alimento. Tudo bem, em tempos de crise, as pessoas podem até ir menos a restaurantes, bares, pizzarias, etc. porém, se você souber alinhar qualidade a um preço acessível de seus produtos, com certeza terá clientes.

 

Aqui vão três categorias de alimento que com certeza terão públicos compradores:

 

Salgados – A variedade desse grupo é grande e pode atender a vários gostos. Alguns exemplos são: Coxinha, pastel, rissoles, esfiha, kibe, empada.

 

Doces – Olha só essa pesquisa do Ministério da Saúde que mostra que 18% dos brasileiros consomem doces durante 5 ou mais dias na semana. Percebe o potencial disso? Hehe Algumas opções para produzir e comercializar são: Bombons, bolos, brigadeiros, trufas, chocolates, pão de mel, etc.

 

Congelados – Você acha que as empresas que dominam as gôndolas das grandes redes de supermercados não estudaram o mercado antes de entrar no setor de congelados? É claro que estudaram e perceberam que existem muitos compradores que não sabem cozinhar ou até mesmo não tem tempo de cozinhar. Agora, convenhamos, uma lasanha congelada comprada no supermercado perde feio para uma lasanha feita de forma mais artesanal por uma pessoa do seu bairro. Outras opções de congelados são: macarrão, nhoque, panqueca, tortas salgadas, etc.

 

Não sabe cozinhar? Que tal propor uma parceria com alguém que queira “fazer acontecer” junto com você?

 

E onde vender? Cantinas de faculdades, empresas, prédios comerciais em geral, mercados menores nos bairros, enfim, existem muitas possibilidades e parcerias que pode encontrar para fazer seu negócio deslanchar.

 

Vendas pela Internet

 

Aqui as possibilidades são gigantes, você sabia que mesmo o país passando por tantas dificuldades o setor de “e-commerce” cresceu no Brasil? Pois é, segundo o relatório da Webshoppers 2016, houve um crescimento de 3% no volume de pedidos em 2015, o e-commerce brasileiro movimentou R$ 41,3 bilhões, valor que representa um aumento nominal de 15,3%, se comparado ao registrado em 2014.

 

Alguns exemplos de produtos que podem ser comercializados pela Internet:

 

Roupas – Seja para vender na sua cidade ou então para distribuir para o Brasil inteiro, as chances são grandes de dar certo vendendo esse tipo de produto. Você terá que ter um pouco de conhecimento para descobrir fornecedores de qualidade que entreguem o que seus clientes procuram. Você pode vender moda fitness, moda praia, roupa íntima, camisas personalizadas, moda retrô, enfim, as possibilidades são muitas. Ah, uma dica legal aqui, roupas para crianças geralmente são caras e como criança, praticamente, perde a roupa de um ano para o outro, isso acaba obrigando os pais a comprarem roupas novas todos os anos, então moda infantil deve estar no seu radar caso queira trabalhar vendendo roupas.

 

Acessórios – Acessórios são quase que um complemento do grupo anterior (roupas) e a variedade é grande também. Acessórios podem ir desde brincos até bolsa da moda. Alguns exemplos de acessórios que pode pensar em comercializar: pulseiras, relógios, perfume, óculos, carteira.

 

Informática – Pergunto a você, de onde está lendo esse artigo nesse momento? De um celular? Notebook? Tablet? Estamos cada vez mais ligados em tecnologia e equipamentos de informática devem estar no seu radar caso tenha algum conhecimento sobre essa área. Alguns exemplos que pode revender: Pen drive, mouse, cartão de memória, HD externo, placa de memória, webcam, teclado, fone de ouvido, microfone, impressora, entre outros.

 

Acredito no potencial da internet e por isso recomendo que pesquise qual a melhor estratégia e o melhor lugar para vender seus produtos online. Você pode optar por começar a vender online através de grupos no Facebook, crie um grupo para de um determinado segmento e ofereça seus produtos lá. Seu grupo deve ter algum atrativo ou benefício para um determinado público, exemplo: “Mamães que queiram produtos para seus bebês com desconto” nesse grupo as mamães podem revender os objetos dos filhos delas e você também poderá vender seus produtos novos, entendeu? Quem sabe essa não se torne a sua principal fonte de renda, certo?

 

Produtos digitais – Nem só com produtos físicos você pode lucrar pela internet, existe uma demanda muito grande para produtos digitais. Alguns exemplos de produtos digitais que você pode comercializar: Cursos, Vídeo-aulas, Livros, Revistas, Documentos, CDs/DVDs, fotos.  Hoje em dia as pessoas consomem muita informação pela internet e algumas informações são pagas.

 

Alguns benefícios são: não precisa ter um lugar para armazenar estoque, não precisa adicionar valores de frete na entrega e você pode programar para automatizar todo o processo de venda e entrega desses produtos digitais.

 

Redução de gastos

 

A terceira dica para você superar a crise é saber controlar seu dinheiro e em momentos como esse. Às vezes é necessário reduzir gastos supérfluos até que as coisas voltem ao normal.

 

Evitar comprar por impulso pode resultar em uma redução de gastos mensais. Um outro ponto interessante é você pagar as contas em dia, evitar o uso do cheque especial, sempre pagar o cartão de crédito de forma integral, evitando pagar juros sobre as taxas exorbitantes dos bancos.

 

Esse planejamento e a disciplina com o orçamento doméstico farão com que você fuja das dívidas.

 

 

Caso você ainda não tenha vivenciado uma crise desse tamanho, provavelmente, conhece pessoas que souberam aproveitar a crise para transformar essa dificuldade em negócios prósperos. Sim, muitas pessoas prosperam onde muitos apenas reclamam.  Convido você a assumir o posto de protagonista da sua vida e encarar a crise de frente, disposto a lidar com as adversidades e turbulências que virão.

 

Ficar no sofá esperando uma ligação para uma entrevista de emprego pode ser que demore. Tenha a atitude de mudar agora! Equilibre seu orçamento e tome as decisões corretas para seu futuro e seu bolso.

 

Boa sorte e até o próximo artigo!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 formas de ganhar dinheiro em 2022
Por Central do Evento
32 gastos que dão direito à restituição do imposto de renda
Por Central do Evento
4 dicas para tirar as metas financeiras do papel em 2022
Por Equipe Organizze
4 dicas para criar um fundo de emergência
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).